Olhos sensíveis à luz: tire sua visão da zona de conforto e diminua isso!

Olhos sensíveis à luz é uma das queixas mais comuns

Olhos sensíveis à luz. Essa é uma das queixas mais comuns que ouço dos meus alunos, durante o acompanhamento das aulas, ou ainda, nos comentários dos meus seguidores nas redes sociais é sobre sensibilidade à luz.  Mas porque será que hoje em dia há tanta gente com esse problema?

É fato que, nesses tempos modernos, nós permanecemos muitas horas dentro de salas e escritórios, em lugares fechados e com iluminação controlada e o pior: artificial. Diria que é um falso conforto visual que se estende ainda quando saímos desses locais e vestimos os mais “protetor” dos óculos de sol. Saiba aqui porque você não deve usar óculos de sol.

Em outras palavras, estamos sempre visualmente acomodados, na nossa zona de conforto! E isso faz nossos olhos sensíveis à luz.

E sabe quem sai perdendo com esse hábito? É a nossa íris (responsável por abrir e fechar a nossa pupila), um músculo que se contrai e relaxa de acordo com a quantidade de luz que entra nos seus olhos. Ela enfraquece porque passa grande parte do tempo dilatada por falta de luz intensa e natural.

O resultado dessa falta de movimentação da íris, é o enfraquecimento dessa estrutura, ela não terá mais a potência de antes para contrai e controlar adequadamente a entrada de luz em seus olhos, causando sensibilidade.

 

Vários estudos apontam a falta de exposição ao sol como causa do surgimento de diversas doenças, dentre elas a miopia. Uma pesquisa da Universidade de Queensland, na Austrália, mostra que o sol é benéfico para nossos olhos e contribui, ainda, para a fixação da vitamina D.

Ao mesmo tempo que precisamos da luz do sol, necessitamos também do escuro, quando a pupila se dilata. É justamente os contrastes de iluminação que fortalecem a íris, que abre e fecha a pupila. Só que é quase impossível ter esse contraste de luz ou a falta dela hoje em dia, pois passamos quase que o dia todo em ambientes fechados, e  por outro lado nossas noites são cada vez mais iluminadas de forma artificial.

Por essa razão é tão necessário cuidar da nossa íris, fortalecendo-a com exercícios visuais.

Como melhorar ou até curar olhos sensíveis à luz

O exercício que recomendo é o Ensolar / Sunning. Com cinco minutos de prática por dia, você pode diminuir bastante a sua sensibilidade à luz. Os resultados podem ser sentidos em poucos dias!

Além da sensibilidade à luz, um dos efeitos da pupila não “fechar” de forma correta é a perda de foco da visão. Isso porque quando nós tentamos prestar atenção em um objeto menor ou em separado a tendência é criarmos no olho a mesma função da luneta e passamos a enxergar por meio de um pequeno túnel

 

Assim, numa máquina tão complexa e maravilhosa como nosso olho muita coisa precisa estar em dia para que tudo corra bem!

 

Olhos claros são mais sensíveis à luz? Mito ou verdade?

Isso é MITO! A cor dos olhos não tem nada a ver com a sensibilidade. Por isso, olhos azuis, verdes ou até castanho claro não são olhos sensíveis à luz mais do que olhos escuros, que têm a mesma estrutura dos de cores claras. Assim todos os olhos são formados pelas mesmas estruturas, independentemente da cor deles.

A nossa íris é formada por uma série de pequenos músculos que têm a função de abrir e fechar a pupila, conforme a entrada de mais ou menos luz. Mas, nenhuma luz passa pela íris, ela passa pela pupila, que é o buraquinho negro – sem cor — bem no meio do nosso olho. Então, a cor fica na íris e não, na pupila, que é onde entra a luz.

Portanto, a conclusão é que nenhuma cor de olho influencia em ter olhos sensíveis à luz.

Aí você me diz: mas, eu acreditei nisso a vida inteira, e realmente sinto mais sensibilidade que outras pessoas!

Sim, aí você provavelmente usou mais óculos escuros, fugiu do sol e deixou seus olhos mais fracos. O fato de você acreditar no mito te condicionou a hábitos que te causaram mais sensibilidade, e não simplesmente a cor dos seus olhos.

Então, lembre-se que isso é mito! Olho azul ou castanho claro, não importa a cor, a estrutura é igual e eles podem ter sensibilidade à luz, se não forem fortalecidos e expostos da maneira correta ao sol.

 

 

Quer receber sem custo 1 Hora em vídeo de EXERCÍCIOS PARA OS OLHOS?

Cadastre-se na minha Lista VIP, é totalmente gratuita, e por ela eu envio e-mails com vídeo aulas, dicas e exercícios visuais para você praticar.

É por e-mail também que eu aviso quando os programas online estão com as inscrições abertas. Neles, você tem acesso ao meu acompanhamento e também aos programas específicos de exercícios para cada problema visual.

CLIQUE AQUI, faça parte da LISTA VIP e receba o VÍDEO GRATUITO com uma hora de exercícios

MAIS INFORMAÇÕES e um canal para tirar suas DÚVIDAS, envie um e-mail para: tatiana@tatianagebrael.com.br

Você também pode baixar no seu celular o APLICATIVO OLHOS DE ÁGUIA. É fácil e rápido! Você pode ter acesso via Play Store (loja do Google), se o seu celular usa o sistema Android, e na APP Store (loja da Apple), caso seu aparelho utilize o sistema IOS.

BAIXE O APP, ACESSANDO O LINK: http://tatianagebrael.com.br/app-olhos-de-aguia

CONTINUE ME ACOMPANHANDO VIA REDES SOCIAIS, POIS TEMOS MUITO CONTEÚDO GRATUITO DE QUALIDADE E ESPECIALMENTE DESENVOLVIDO PARA VOCÊ MELHORAR A SUA VISÃO NATURALMENTE!

 

FACEBOOK: https://www.facebook.com/DraTatianaGebrael/
YOUTUBE: https://www.youtube.com/user/tatiluisa/videos
INSTAGRAM: @tatianagebrael
SITE | BLOG:
https://www.metodoselfhealing.com.br/

 

..

 

 

Quer saber mais e receber dicas como essa com exclusividade? Faça parte da lista VIP colocando seu email abaixo.

Responsive image

Dra. Tatiana Gebrael


Dra. Tatiana Gebrael ACREDITA nos tratamentos naturais, que agem não só nos sintomas, mas também nas causas dos problemas visuais e corporais, e que É POSSÍVEL ter olhos e corpo cada vez mais saudáveis em qualquer idade. Terapeuta Ocupacional, Especialista, Mestre, e Instrutora do método Self-healing de Meir Schneider.

Um comentário no post “Olhos sensíveis à luz: tire sua visão da zona de conforto e diminua isso!

Deixe seu comentário, dúvida ou sugestão

Campos obrigatórios são marcados com *